Meu Eterno Professor

As pessoas pedem ou agradecem a outras usando a expressão… do fundo do meu coração …

Eu gostaria de agradecer a um ser humano que não veio a este mundo a passeio, mas a serviço de uma causa nobre: dar a sua contribuição social (ser uma espécie facho luminoso para clarear aqueles que se encontram nas trevas do conhecimento, saber, e outras coisas que o dinheiro não pode comprar… a decência, o carinho e a amizade…).

Pois é, esta pessoa representa um espelho que reflete e cintila a sua imagem para os seus discípulos e para aquele que estão ao seu redor… esta pessoa é o Senhor, Profo José Geraldo Vergetti de Siqueira… o meu eterno Professor…

Por isso e por tudo que o Senhor representa para a Saúde Pública Brasileira, eu te agradeço não somente do fundo do meu coração, mas também e principalmente do fundo das minhas interconexões neuronais, dizendo o que Senhor representa na minha formação, não somente médica, mas também humana; funcionando como uma espécie de Farol, um Porto Seguro…

Os fenômenos ocorrem e poucos conseguem entender no momento, alguns entendem algum tempo depois, mas infelizmente, a maioria nunca consegue entender… o que é uma pena, nosso General de Exército…

Esse título caberia muito bem no senhor, pois a OMS afirmou que a SUCAM sempre foi o maior Exército a serviço da Humanidade e a favor do bem.

Nos tempos de guerra geralmente o comandante supremo é um Marechal e, portanto, o melhor título que cabe em V. S. seria mesmo o de General do Exército… do Exército da Paz…. No sentido de levar informação e Saúde Pública para todos os nossos patrícios dos quatro cantos do nosso Estado e do Brasil…

Mas, tratando-se de combate ao inseto-vetor do Dengue e da Febre Amarela, o de Marechal de Campo cairia muito bem, nosso Marechal da vitória… da vitória que tivemos quando junto acabamos com a última epidemia de Dengue desse Estado naquela época, em Roteiro, em janeiro de 1.989.

Sempre altivo e com Espírito Altruístico, não tivestes dúvidas quando da chegada do Dengue aqui entre nós… desativastes todos os demais programas da SUCAM no nosso Estado e canalizastes todos os servidores para combater o mosquito-vetor, sem pestanejar, sem mesmo consultar Brasília; pois o problema de Saúde Pública urgia competência, tenacidade e abnegação, o que sempre tivestes…

Quando de uma Reunião Sobre Dengue e combate ao Aedes aegypti, em 1.988, na cidade do Recife; onde os Diretores Regionais da SUCAM de todos os Estados nordestinos, caiaram no lugar comum, na mesmice, o Senhor teve a coragem que sempre lhe foi peculiar, fazendo a seguinte crítica: por que a SUDENE e o Banco do Nordeste não estão aqui neste encontro se o nosso grande problema de Saúde Pública é muito mais uma decisão política e econômica do que técnica? O auditório ensurdeceu (e eles continuam surdos ainda hoje), não houve respostas… Eles queria continuar brincando de acabar com o Aedes aegypti como afirmei naquela ocasião… e o Senhor sabe o quanto essa afirmação me custou.

Esses fatos resumem tudo… o que o Senhor representa para a Saúde Pública Brasileira…

Por tudo isso, o Senhor é o nosso espelho, cujo reflexo… emana tudo de bom… inclusive muita preocupação com a Saúde de todos… de todos os nossos patrícios… das cidades e principalmente os do campo como o Senhor sempre afirmou. Sempre tivestes muita sensibilidade, responsabilidade social… sendo estes valores a sua marca registrada.

Essa é uma pequena história, um pedacinho da sua história, pois ela ainda não terminou… o Senhor ainda tem muito que fazer por esses que não tem voz e nem poder político… e eu espero continuar me refletindo no seu espelho… e bebendo no cálice de sua sabedoria…

Obrigado Professor, por o Senhor existir…

Sinceramente… Mário… seu eterno aluno e amigo.

Maceió, Março de 2.009.

Profo Mário Jorge Martins.

Professor Adjunto de Saúde Coletiva da Universidade de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL) – Brasil.